Faça reuniões produtivas com apenas 5 dicas

Resultado de imagem para fotos de reuniões
Por 
Analista de Marketing na Rock Content.
Existem algumas formas de fazer desse momento algo bom, por isso separamos, a seguir, 5 dicas para conseguir realizar reuniões produtivas!

As reuniões corporativas são muito importantes para alinhamentos de estratégias dos líderes com a sua equipe e o melhor acompanhamento dos processos. Através dessa prática, é possível perceber o que está sendo feito errado e o que não está certo nas decisões. Porém, é muito comum esse ser um momento jogado fora por falta de saber como conduzir de maneira eficaz.

Um grande erro é deixar com que sua equipe sinta que o que é discutido em reunião não é colocado em prática e nem gera nenhum tipo de resultado. Isso é bastante prejudicial, pois, além de ser um desperdício de recursos, desmotiva o seu time diariamente. Esteja atento ao que você não deve fazer no momento de montar e gerenciar sua equipe.

As regras de governança corporativa devem ser claras e implicar cada um para o cumprimento de suas respectivas funções. Para isso, é importante que todos estejam preparados e saibam o que esperar desse encontro. Existem algumas formas de fazer desse momento algo bom, por isso separamos, a seguir, 5 dicas para conseguir realizar reuniões produtivas:

Saiba como ser um bom líder

O condutor de uma reunião é o grande responsável pelo rumo que ela toma e também pelo seu sucesso ou não. Algumas técnicas rápidas podem ser levadas em consideração para diminuir o gelo entre você e o seu time.

São elas: opte sempre por um tom de voz amigável, esteja sentado à altura de todos e evite dizer expressões e opiniões do senso comum.

Tenha apenas um objetivo alinhado com sua equipe

No momento do agendamento da reunião, o líder deve distribuir uma proposta de pauta, que acabará por contribuir na organização de todo processo. Todo encontro deve ter um objetivo único e suscitar ações concretas, que serão acordadas por todos no final. Nenhum encontro deve parecer em vão.

No roteiro, devem ser listados todos os assuntos que serão abordados. Também é muito importante que ele seja aberto para que a equipe possa adicionar pontos de discussão a respeito daquele objetivo.

Se o ponto da reunião for criar novas soluções ou produtos, ela deve ser conduzida, preferencialmente, por meio de um brainstorm, em que o líder será o responsável por retirar ideias proveitosas que possam ser aplicadas a partir de então.

Todas reuniões produtivas devem ter previamente hora para acabar

Reuniões longas se tornam improdutivas e geralmente refletem a incapacidade de otimização do tempo dos dirigentes. Esse é um diferencial dos encontros, pois podem ditar o investimento errado dos recursos que a empresa possui.

O ideal é que ela dure 1 hora e não mais do que isso. Se a equipe for bem direcionada, é possível fazer, inclusive, em 30 minutos, basta que não se perca o foco com assuntos paralelos. Basicamente, tem-se uma introdução, a discussão do assunto daquela reunião por todos e por fim, as conclusões.

O líder deve mediar as discussões, saber quando pontuar alguns assuntos e ficar bem atento para certificar-se que as pautas estão sendo cumpridas e o tempo está sendo bem distribuído.

Uma dica prática para reuniões produtivas é pedir a todos que, porventura, queiram relatar um problema, se preparem antes respondendo a si mesmos as seguintes questões: Qual é o tipo de problema? Por que ele acontece? Quais as soluções possíveis? Qual solução você daria para ele?

Faça reuniões de máximo 6 pessoas

Muitos dirigentes chegam a pensar que quanto mais cabeças pensantes, maiores as possibilidades de atingir soluções, mas é exatamente o contrário. Isso pode colocar em cheque a produtividade do seu encontro, além de inibir comentários e opiniões que realmente importam.

Colocar muitas pessoas em uma sala normalmente acaba por gerar conversas paralelas, muitos desencontros de pontos-de-vista e quase nenhuma resolução. Por isso, opte sempre por reunir no máximo 6 pessoas, pois assim será mais fácil atingir os objetivos.

Evite colocar suas opiniões na discussão, só faça depois que todos tenham dado seus posicionamentos. O intuito maior do líder é mediar e ponderar, visando sempre o melhor direcionamento da reunião. Caso contrário, isso pode inibir os participantes de darem uma solução e inclusive, influenciá-los em seus pensamentos.

Defina o papel de cada um dos participantes

A governança corporativa só faz sentido se houver os responsáveis em manter a viabilidade de determinado negócio. Portanto, é essencial que se crie um papel para cada um dos participantes. isso contribui para que o colaborador se sinta parte daquela estratégia e entenda realmente o que esperam que ele execute para isso.

Tenha certeza que todos os presentes são ouvidos. É muito comum que as pessoas mais desenvoltas ou com melhor fluência se expressem mais nos momentos em grupo, mas procure saber o que os tímidos acham. Administrar os perfis existentes e dar voz a todos é uma ótima maneira de otimizar recursos.

De modo geral, o líder deve determinar, então:

  1. As ações a serem tomadas e o tempo para realização;
  2. Os responsáveis pela execução destas;
  3. Os resultados esperados.

Uma boa dica é marcar os encontros na segunda ou na terça-feira à tarde, pois no início da semana o colaborador teve tempo de se preparar para a reunião e poderá planejar o que deve realizar para atingir os objetivos alinhados.

Faça um resumo das decisões tomadas e dos próximos passos

Para que se afaste dos funcionários a sensação de desperdício de tempo e energia desprendidos para as reuniões, o líder deve, antes de passar para os próximos passos,apresentar regularmente os resultados obtidos com os encontros anteriores, parabenizando e incentivando todos os que fizeram um bom trabalho.

Ao final, ele deve listar todos os pontos acordados e redigir um resumo de tudo o que foi discutido, para preenchimento da ata. Nesse momento, todos os participantes devem consentir com os próximos passos e se conscientizar de suas responsabilidades para o prosseguimento das metas.

Um bom recurso é utilizar um sistema online em comum que possa centralizar todas essas informações e que também seja facilmente acessado pela equipe, quando necessário. Pode ser o OneNote, o Evernote, um documento no Google Drive e até mesmo um grupo no Slack ou Whatsapp!

Após essas 5 dicas, certamente você deve ter entendido melhor como realizar reuniões produtivas e evitar o desperdício de recursos! Fonte: https://saiadolugar.com.br/reunioes-produtivas/
 .
PUBLICIDADE
 .
Resultado de imagem para METAFLIX (Prof. Horácio Frazão)
Anúncios

AMEAÇAS: Amazon deixa de vender só livros e ações de varejistas despencam

Embalagem de entrega da Amazon

De acordo com jornal Valor Econômico, vendas de eletrônicos começarão na próxima semana

As ações das varejistas brasileiras caíram nesta sexta-feira, com a notícia de que a Amazon deve ampliar suas operações no Brasil.

A B2W, criada a partir da fusão de Submarino, Shoptime e Lojas Americanas, foi uma das companhias que registraram as maiores perdas. Os papéis da empresa terminaram o dia em queda de 10,7%.  A controladora Lojas Americanas acompanhou o movimento de baixa com queda de até 2,9%

Também foi afetada a Magazine Luiza, que viu os papéis caírem 5,86%.

Via Varejo e sua controladora Pão de Açúcar amargavam perdas, de 8% e 3,9%, respectivamente.

Expansão

De acordo com o jornal Valor Econômico, a Amazon deve começar, já no próximo dia 18, a vender aparelhos eletrônicos, como TVs, caixas de som, computadores e celulares.

Segundo apurou a publicação, a expectativa é aumentar o mix de produtos até o final do ano para que, no longo prazo, a variedade de itens seja a mesma encontrada nos Estados Unidos.

Os eletrônicos devem entrar no catálogo da companhia no Brasil através do modelo de marketplace, pelo qual outros varejistas se habilitam para vender seus produtos pelo site da Amazon.

Segundo o Valor, a gigante americana intensificou o diálogo com varejistas e empresas de tecnologia brasileiras nos últimos dias.

A Bloomberg também informou que a Amazon está recrutando para vários cargos no Brasil, o que poderia ser um sinal de expansão na América Latina. Uma das vagas é para gerente de produto de varejo, que deve supervisionar grandes lançamentos. Fonte: Exame

Amazon_GettyImages-1000x600

7 sinais que você é um líder que todo mundo quer seguir

Liderança carreira conquistar objetivos destacar na empresa sucesso proativo proatividade (Foto: Shutterstock)

Não é uma questão de ser amigo ou meramente extrovertido. Funcionários se engajam mais dependendo de como seus chefes são

Não é fácil se autoavaliar, principalmente quando se é responsável por uma equipe. “Será que estou sendo um bom líder?”, é uma dúvida mais comum do que se imagina. Dificilmente as equipes dizem exatamente o que pensam de seus chefes. Mas há alguns sinais, baseados em estudos e pesquisas com especialistas, para saber que se está no caminho certo e desempenhar bem a liderança. O site Business Insider indicou sete deles. Confira:

Em geral, você é uma pessoa positiva

Pesquisas de 2015 apontam que pessoas felizes costumam ser líderes mais eficientes. Isto ocorre, em grande parte, porque essas pessoas enxergam a liderança de uma forma mais transformadora — principalmente no sentido de inspirar e motivar o time e estimular os indivíduos intelectualmente. Segundo essas pesquisas, ser alguém positivo é um indicador melhor sobre boa liderança do que extroversão — uma característica normalmente associada a chefes de sucesso. Isso, contudo, não quer dizer que você deve distribuir sorrisos por aí e rir a cada reunião com a equipe.

Você não teme mudanças

Chefes jovens são vistos como mais eficientes em seus trabalhos do que seus pares mais velhos, segundo um estudo realizado com 65 mil líderes e gestores pela consultoria de desenvolvimento em liderança Zenger/Folkman. E qual a principal razão disso? Eles são mais abertos às novidades. A consultoria afirma que é possível que a falta de experiência de chefes mais jovens os torne mais otimistas sobre a eficácia das ações que propõem e se sentem mais instigados para realizarem mudanças.

Você é um pouco, digamos, chato

Na realidade, o que isso quer dizer é que você é uma pessoa madura emocionalmente — o que significa uma pessoa estável, agradável, consciente. O psicólogo Tomas Chamorro-Premuzic, que atua no mundo dos negócios, escreveu na Harvard Business Review que os melhores gestores do mundo tendem a ser conscientes (ao invés de entusiasmados ou erráticos), educados e com bom discernimento. Esta talvez deva ser, segundo o Business Insider, a razão pela qual o CEO do Google, Sundar Pichai, seja tão bem sucedido. Ao invés de ser claramente uma pessoa emocional, como era Steve Jobs por exemplo, ele é descrito como alguém previsível que prefere permanecer fora dos holofotes.  Em outras palavras: Steve Jobs estava mais para uma exceção à regra.

Você é íntegro

O psicológo Tomas Chamorro-Premuzic também indica que integridade é um componente chave para o sucesso de uma grande liderança. Agir de maneira não ética ou contraproducente são formas negativas de liderar e podem destruir uma empresa. Um estudo apontou que os CEOs avaliados com alto índice de integridade por seus funcionários conseguem um retorno financeiro médio de 9,4%  por vários anos — contra 1,9% dos CEOs pior avaliados. Já o psicólogo Travis Bradberry indica quais são as armadilhas que um líder deve evitar — do contrário, sua integridade estará em jogo. Uma delas é fazer tudo que os outros falam. É preciso agir agir de forma crítica, ativa e questionadora. Outra armadilha diz respeito ao microgerenciamento — produtividade é diferente para cada pessoa, líder ou equipe. A dica é deixar que as pessoas façam o melhor que podem do jeito delas.

Classicos

Você trabalha duro

Anos de pesquisa sugerem que ser dedicado — ou a tendência para ser organizado e trabalhador — é um forte traço da pesonalidade que está ligado ao sucesso. Dedicação indica muito a respeito de alguém — é provável que aquele líder foi um gerente dedicado e que, provavelmente, fez um bom trabalho para chegar onde está.

Você tem visão

Outro estudo realizado pela consultoria Zenger/Folkman mostra que uma qualidade importante de líderes inovadores é a capacidade de ter uma ampla visão de futuro. Mas desenvolver essa habilidade é mais complicado do que parece. Como fazer? A coach Suzanne Bates diz que quando líderes a procuram para pedir ajuda, eles geralmente estão em falta com essa visão, ou seja, não conseguem visualizar um panorama melhor — onde podem ver tendências. Uma estratégia que ela indica para treinar é o que chama de “A Grande Ideia”. Trata-se de resumir conceitos complexos em uma declaração convincente de 25 palavras ou menos que comunica essa visão. A declaração deve ter três partes: uma proposta, um resultado e um benefício. Por exemplo: “Vamos lançar serviço 24 horas para atender melhor os clientes, aumentar a satisfação e ampliar nossa base”.

Você respeita seus funcionários

Um estudo realizado com 20 mil funcionários de empresas do mundo todo mostra que se há um comportamento específico de um líder que engaja os funcionários é o respeito. Christine Porath, coautora do estudo, publicou os resultados na Harvard Business Review. Segundo ela, os funcionários que se sentem respeitados pelos seus chefes são 55% mais engajados e sua probabilidade de permanecer na empresa (ou seja, o conhecimento não se perde) é 1,1 maior do que aqueles que não se sentem respeitados. O estudo, porém, mostrou que mais da metade dos funcionários entrevistados (54%) não se sentiam respeitado pelos seus chefes. Fica a dica. Fonte: Epocanegocios.globo.com/

casas.bahia

Google pode ser a primeira empresa a valer US$ 1 trilhão

googlenuvem

Com lançamentos dos últimos meses, as ações da companhia podem registrar forte valorização e valor de mercado pode chegar a casa do trilhão de dólares

O Google está no caminho certo para ser a primeira empresa a valer 1 trilhão de dólares. É o que afirma Brent Thill, analista da Jefferies, banco de investimento americano.

Em relatório, o analista afirmou que as ações do Google podem chegar em 1,200 dólares. Hoje, os papéis são negociados em 992,31 dólares, ou seja, uma valorização de 21%.

Com a valorização de mais de 20% das ações, o valor de mercado da gigante passaria de 650 bilhões de dólares para 1 trilhão de dólares.

O otimismo em relação ao Google se deve ao lançamentos realizados nos últimos meses, como os smartphones e notebooks com inteligência artificial. O relatório destaca que esses lançamentos deixaram a companhia a frente de concorrentes, como a Apple.

“Combinado com o esforço de inteligência artificial, o Google bateu a concorrência… A integração de tais tecnologias em seus dispositivos domésticos inteligentes também provam ser uma sinal de estratégia coerente de longo prazo”, disse o analista. Fonte: https://exame.abril.com.br/mercados

am.

Zona de conforto: 7 motivos pelos quais você deve parar de nadar em águas calmas

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.”

Você dificilmente faz algo fora do seu padrão de comportamento ou acha complicado demais sequer pensar em mudar seus hábitos? Se suas respostam foram positivas, então muito provavelmente você tem receio de sair da sua zona de conforto.

Assim como o curso natural da vida, para evoluir e crescer nos âmbitos pessoal e profissional, é preciso que o ser humano lide com situações que estão fora do seu considerado “normal”.

Sair da sua zona de conforto não é abrir mão do conforto em si, mas sim saber lidar com o medo que impede que você corra riscos e aproveite o processo de crescimento que esse caminho pode proporcionar.

Preparamos esse material para que você entenda melhor o que é, quais os perigos e como sair de vez da sua zona de conforto. Confira!

O que é a zona de conforto, afinal?

A zona de conforto é o conjunto de hábitos e padrões que adquirimos em nossa vida, desde a infância e adolescência até a vida adulta. Por estarem enraizados, normalmente esses hábitos e padrões se tornam inconscientes — com isso, vamos repetindo as mesmas ações e atitudes sem perceber.

São aquelas coisas que temos preguiça de mudar, sabe? Por exemplo: o padrão de não fazer exercício físico, de não romper limites pré-estabelecidos, de dizer “sim” para tudo que os outros nos pedem, de não sermos proativos na vida profissional, etc.

Quais são os perigos e consequências de permanecer nela?

Sem dúvida você já leu ou escutou a seguinte frase, que acredita-se ser de Albert Einstiein:

Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

Essa citação resume o principal perigo da zona de conforto. Ao manter sempre as mesmas ações, uma pessoa dificilmente conquistará novos resultados. Raramente celebrará novas conquistas profissionais, novos relacionamentos pessoais, crescimento empresarial, assim por diante.

De uma maneira mais ampla, existem ainda outros riscos de permanecer por longos períodos na zona de conforto:

  • a não evolução pessoal e profissional, pois a pessoa se fecha para novas experiências;
  • a queda ou estagnação dos resultados da empresa, por não buscar novos aprendizados, soluções, parcerias, etc.;
  • a falsa sensação de segurança e felicidade, que pode ser facilmente abalada por imprevistos externos, como uma crise financeira;
  • o desequilíbrio entre as diferentes áreas da vida, pois as áreas que permanecem na zona de conforto “ficam para trás”;
  • entre outros.

7 motivos para sair da zona de conforto de uma vez por todas

Parar de nadar em águas calmas pode trazer muitos benefícios para sua vida pessoal e profissional. Veja aqui as principais razões para lutar contra a sua zona de conforto:

1. Conhecer suas potencialidades escondidas

Você vai se surpreender com o que se pode descobrir sobre si mesmo no momento em que decidir fazer algo fora do habitual. Quando você corre atrás de um objetivo que antes parecia impossível, se depara com um leque de habilidades e técnicas que você pensava serem inexistentes.

Mesmo que você encontre pedras no caminho, vai perceber que sua capacidade de contornar e lidar com situações difíceis é muito maior do que você jamais poderia imaginar.

2. Expandir a criatividade e habilidades

Depois de conhecer novas potencialidades, você pode mergulhar naquelas que realmente o motivam a seguir em frente. Ou seja, aquelas atividades e assuntos que fazem com que você queira estudar, praticar e se desafiar cada vez mais.

Com isso, abre-se uma estrada gigantesca para que você desenvolva habilidades profundas e a criatividade para propor soluções e contornar problemas.

3. Descobrir a flexibilidade

É comum que as pessoas que ficam tempo demais rodeadas das mesmas escolhas, grupos e atividades acabem se fixando em um único ponto de vista.

Quando você decide se desafiar para além dos seus limites, passa a enxergar novos ângulos — talvez mais proveitosos — da mesma realidade e começa a se aproximar de novas maneira de ver a vida.

Isso resulta numa maior flexibilidade, tanto na maneira como você encara suas atividades e conflitos atuais, quanto na maior facilidade de lidar com as oportunidades oferecidas pela vida.

4. Melhorar sua capacidade de networking

Para ter sucesso, um empreendedor também precisa investir em relacionamentos e networking. Porém, um empresário que mantém sempre os mesmos hábitos acaba se conectando sempre com as mesmas pessoas. Ou, pior do que isso, tem contato com muitas pessoas, mas de forma rasa.

Ao sair da zona de conforto, você passa a experimentar novas situações e a compreender outros pontos de vista. Com isso, sua empatia e capacidade de relacionamento crescem muito. A partir daí, fica bem mais fácil entender como você pode ajudar outras pessoas e como elas podem te ajudar.

5. Eliminar medos (conhecidos ou não)

Tanto os medos que você já conhece como os mais profundos — que ainda estão no inconsciente — têm uma característica em comum: a de prender você em um ciclo vicioso.Por ter medo de mudar em uma determinada área, você não arrisca e não faz nada diferente. Consequentemente, os medos se fortalecem e crescem ainda mais.

Fingir que o medo e a incerteza não existem é sinônimo de engano próprio. Ao assumir riscos de forma controlada e se desafiar a situações que normalmente não faria, você pode experimentar algumas dessas incertezas em um ambiente gerenciável.

Sair da zona de conforto, mesmo que com passos pequenos, faz com que você confronte seus medos, ainda que não tenha certeza de como lidar com isso. O simples fato de agir já faz com que seus receios comecem a se dissipar.

6. Acreditar mais em você

A autoconfiança, a autoestima e o amor próprio crescem à medida em que você supera novos desafios. Isso não quer dizer que você deva mergulhar nos seus medos e ansiedades de uma vez só. Normalmente, pequenos passos para fora da sua zona de conforto fazem com que a autoconfiança se desenvolva gradualmente.

Com isso, cria-se um novo ciclo; dessa vez, um ciclo virtuoso. Quanto mais você sai da zona de conforto, mais autoconfiança ganha para encarar novas situações desconfortáveis.

7. Tornar-se mais independente

Pessoas que vivem na zona de conforto acabam se tornando dependentes de seus próprios hábitos. O problema é que vivemos em uma sociedade dinâmica, onde o contexto de vida pode mudar rapidamente. E quando as coisas mudam, se você não estiver acostumado a se desafiar, vai acabar dependendo de outras pessoas para “não cair”.

Por isso, cada passo para fora da zona de conforto faz com que você explore também a sua autenticidade, independência e autoliderança. Assim, as condições externas podem até mudar, mas a confiança em si mesmo continuará presente.

Obviamente, sair da zona de conforto pode ser — como o nome já sugere — um pouco desconfortável. No entanto, os benefícios são inúmeros. Ao desafiar a si mesmo no empreendedorismo e em outras áreas da vida, você abre espaço para novas oportunidades e conquistas, trazendo muito mais resultados e aprendizados.

Se você gostou desse conteúdo, aproveite para ler o post Não tenha medo do desconhecido ao empreender. Fontte: https://saiadolugar.com.br/zona-de-conforto/

Resultado de imagem para logo da amazon

Garrafa ecológica que filtra água SUJA chega ao Brasil

Sucesso de vendas em todo o mundo, a garrafinha FiltraFit soluciona um problema de saúde pública e também de ecologia

A contaminação da água encanada tem sido um problema recorrente na vida dos brasileiros. Diversas análises e estudos indicam que cada vez mais nossa água apresenta níveis indesejados de substâncias nocivas à saúde, as quais podem causar doenças extremamente graves quando consumidas em excesso.

O que ocorre é que a água da torneia em todos os países do mundo não é confiável e pode trazer substâncias nocivas à saúde, até mesmo as indústrias que comercializam água mineral não são tão seguras assim. Foi pensando nisso que as fabricantes da Filtrafit desenvolveram esta garrafa que está dando o que falar.

Qual a solução?

A solução tem se tornado popular: Filtrafit, uma garrafinha reutilizável com filtro embutido. A ideia é simples: basta encher a garrafa com água da torneira, e à medida que a água passa pelo filtro, ele remove o cloro, metais pesados e outras impurezas presentes na água. O filtro é feito de carvão ativado granulado, que “agarra” as impurezas antes delas entrarem em seu organismo. Para garantir a boa qualidade da água, basta trocar o filtro a cada 300 garrafinhas que você encher – mais ou menos 3 meses, caso use ela todos os dias.

Garrafinha que virou sucesso no exterior
agora também é vendida no Brasil

Com a preocupação com o meio-ambiente, cidades como São Francisco nos EUA já baniram a venda de água mineral em garrafas plásticas. Esse é outro ponto em que a Filtrafit se destaca: por ser reutilizável, trocando o filtro você pode continuar usando sempre a mesma garrafa, sem poluir o meio-ambiente. Além disso, já levando em conta a troca do filtro, usar a Filtrafit acaba custando 85% menos do que comprar água mineral no supermercado – é um pequeno investimento que se paga rapidamente.

A Filtrafit também é feita de materiais reciclados e é livre de BPA, um composto plástico muito utilizado na fabricação de garrafas mas que é prejudicial à saúde (o BPA já foi banido na Europa e no Canadá). A Filtrafit utiliza um plástico resistente, tem um formato tipo “Squeeze” fácil de segurar e o tamanho certo para carregar na bolsa ou na mochila.

Diferenciais da Filtrafit:

  • Design do produto feito nos EUA
  • Plástico com certificado livre de BPA
  • Água limpa em qualquer lugar que você vá
  • Reutilizável: Troque o filtro e use quantas vezes quiser

Veja abaixo como funciona a Filtrafit

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/

Supermercados são reconhecidos como atividade essencial da economia

Resultado de imagem para logo do extra atacadista

Os supermercados foram reconhecidos como atividade essencial da economia, por decreto assinado pelo presidente da República, Michel Temer, em cerimônia realizada na manhã de hoje (16), no Palácio do Planalto, que contou com a presença de mais de 400 empresários supermercadistas de diversas regiões do País, políticos e líderes de entidades de classe dos setores de comércio e serviços.

Com o novo status, que atualiza uma legislação da década de 1940, o setor passa a ter instrumentos jurídicos para negociar a abertura dos estabelecimentos aos domingos e feriados em todo o Brasil.

Para o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), João Sanzovo Neto, o decreto está fazendo justiça ao setor supermercadista. “Nosso setor sempre foi essencial, desde a sua origem, com os pequenos mercados, armazéns, e as vendas de secos e molhados. Desde o seu surgimento no País, em 1953, os supermercados passaram por grandes transformações, mas a legislação não acompanhou nossa evolução. Agora, finalmente, seremos legalmente reconhecidos como atividade essencial que somos.”

Resultado de imagem para logo da amazon

João Sanzovo ressaltou ainda que a comemoração é também dos brasileiros. “Antes tínhamos muitos obstáculos para satisfazer a demanda dos consumidores que precisavam se abastecer nos feriados e aos domingos em diversos lugares do País. No Brasil, todos os dias passam por nossas lojas cerca de 27,7 milhões de pessoas, por isso, essa conquista é também de toda a população.”

Atividade Essencial

A legislação que reconhece as atividades essenciais da economia brasileira, o decreto nº 27.048, de 1949, não menciona os supermercados em seu anexo, porque ainda não eram existentes no país, apenas pequenos mercados, peixarias e padarias, que constam no decreto.
Por não estarem inseridos entre as atividades consideradas essenciais, eram necessárias negociações para que os supermercados pudessem exercer suas atividades aos domingos, feriados e horários especiais.
A ABRAS tentava desde 1997 o reconhecimento da atividade supermercadista como essencial.

Setor
O setor supermercadista é responsável pela comercialização de 87,3% de todo alimento e produto de limpeza e higiene pessoal do Brasil. Somente no ano passado, o setor faturou R$ 338,7 bilhões, o que representa 5,4% do produto interno bruto. Com 89 mil lojas no Brasil, os supermercados brasileiros somam mais de 1,8 milhão de funcionários diretos e 5,4 milhões indiretos no País.

Fonte: Assessoria de Comunicação da ABRAS