Atenção galerinha de Portalegre!

Imagem

Previna-se contra a doença do beijo

Um simples beijo na boca trocado com aquele cara ou menina que estava te olhando na balada pode transmitir desde uma gripe ou resfriado e até hepatite B. “Durante o beijo existe troca de fluido salivar, então toda a doença que usa a saliva como meio de contaminação cruzada, pode ser transmitida pelo beijo”, afirma o dentista Alexandre Morita. A boca, por ser escura e úmida, também é o local ideal para que os mil tipos diferentes de organismos que a habitam se desenvolverem. Além da gripe e da hepatite B, o ato pode transmitir mononucleose, cáries, herpes labial, faringite e também amigdalite.

Mononucleose
A mononucleose, a doença do beijo, é transmitida pelo contato direto com a saliva, objetos contaminados e transfusão de sangue. O vírus Epstein-Bar fica incubado por 30 a 45 dias e uma vez infectada a pessoa o carrega para sempre, podendo ser contagioso em ocasiões especiais. Dor de garganta, fadiga, inchaço nos gânglios linfáticos, tosse, perda de apetite, inflamação no fígado e hipertrofia do baço, são os sintomas da doença, que pode ser confundida facilmente com as comuns do inverno. Como nas demais viroses, não existem medicamentos específicos para combatê-la. O tratamento é feito com antitérmicos, analgésicos, antiinflamatórios e repouso.

Herpes labial
Outra doença bem comum é a herpes labial. Não é grave, porém, requer um tratamento específico. Os sintomas são locais: lesões cutâneas cheias de líquido claro ou amarelado aparecem formando crostas quando se rompem e podem causar coceira, ardor e formigamento que duram uma semana. A ação do vírus provoca uma reação imunólogica incapaz de combatê-lo, fazendo com que algumas células guardem o genoma viral, que podem ser ativados com a ajuda de fatores ambientais ou biológicos. O tratamento é feito com antivirais que reduzem os períodos em que ela aparece. Consulte um médico se suspeitar que está com herpes simples.

Meningite
O beijo também pode transmitir a meningite, infecção causada por bactéria ou vírus que ataca as meninges, membranas protetoras do encéfalo, medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. Quando causada por vírus o quadro é leve e os sintomas são parecidos com os da gripe e, normalmente, espera-se que se resolva sozinho como outras viroses. Febre alta, mal-estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, às vezes, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo são sintomas da meningite bacteriana. É importante introduzir os medicamentos adequados para combater essa forma da doença antes que cause danos neurológicos irreversíveis. É possível prevenir a meningite tomando vacinas.

Sífilis
A sífilis é uma doença sexualmente transmissível e raramente é transmitida pelo beijo, causando ferida indolor na gengiva, órgãos genitais, palma da mão e planta dos pés. Mesmo sem tratamento elas podem desaparecer, mas o vírus ainda está presente no corpo e pode causar outros sintomas como manchas avermelhadas na pele e nas mucosas, além de alterações no sistema nervoso central. O tratamento é feito com antibióticos e acompanhamento através de exames de sangue.

Gripes
A gripe suína, assim como a comum, pode ser contagiosa através do contato e secreções respiratórias. Os sintomas também são conhecidos: febre, dor de cabeça e pelo corpo, dor de garganta e tosse.

Hepatite B
Há o risco de de transmissão de hepatite B, pois o vírus está presente na saliva da pessoa infectada. Os sintomas são parecidos com o da hepatite A: náuseas, vômitos, mal-estar, febre, fadiga, perda de apetite, dores abdominais, urina escura, fezes claras, icterícia (cor amarelada na pele e conjuntivas). É possível prevenir o contágio atráves da vacina. O tratamento alivia esses sintomas e suas complicações, mas não há um consenso sobre os medicamentos antivirais.

Gengivite
Quando não tratada, a gengivite, que é a inflamação da gengiva, evolui para um quadro de periodontite. A região fica vermelha e sangra. É causada pelo acúmulo de placa e tártaro nos dentes. Para tratar, é necessário fazer ir ao dentista fazer uma limpeza e manter os cuidados diários: “O principal cuidado que todos devem ter é escovar da maneira correta diariamente. Uma escovação correta consiste em utilizar a escova certa em todos os dentes e língua e passar fio ou fita dental, além de fazer visitas periódicas ao dentista, pelo menos de seis em seis meses” esclarece, Alexandre.

Cárie
O dentista também afirma que a cárie é uma doença multifatorial. Seu surgimento pode ocorrer devido à presença de carboidratos e sacarose na alimentação; estrutura sociocultural, aspectos hereditários e imonológicos, além dos microorganismos presentes na cavidade bucal, no entanto, estes não são determinantes, e sim, participativos. Há quem afirme que o contato pode transmitir a cárie.

Alexandre atenta que a única maneira de evitar qualquer contaminação de qualquer doença pelo beijo é sabendo quem beijar. Também é importante higienizar as mãos sempre que possível, não compartilhar objetos ítimos como escovas de dentes.

Se você quer aproveitar o Dia do Beijo, faça uma boa escovação para também prevenir a halitose (mau hálito).

Fone:  http://br.mulher.yahoo.com/blogs

Voltar ao topo…

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s