10 dicas para ser reprovado numa entrevista de emprego

Saiba o que NÃO fazer numa entrevista de emprego, de modo a aumentar suas chances. Mas, lembre-se, seja você mesmo, viu? Acompanhe…

Precisa aumentar suas chances de sucesso? Então, siga algumas dicas importantes:

1 – Comparecer à entrevista vindo direto da balada

No meu tempo dizia-se noitada… Bem, não faz muito tempo assim. Enfim, as impressões que ficam ainda são as mesmas. Comparecer à entrevista com a cara amassada no meio da semana pode assustar o selecionador. Cheirando a álcool, então, nem merece comentários.

2 – Comparecer de chinelo de dedo

A mocinha era linda e super descolada, mas a vaga era para recepcionista de uma rede internacional de hotéis. A questão é que depois da entrevista inicial ela deveria seguir imediatamente para uma segunda etapa do processo no próprio hotel. Sinto muito, mas chão de mármore e arabescos não combinam com chinelos de dedo. O candidato deve estar preparado para causar uma boa impressão em qualquer ambiente. Aparência conta sim!

3 – Vestimentas muito ousadas ou extravagantes

Decotes, saia e calças muito justas, tecidos transparentes e cores berrantes. Como citei anteriormente, a aparência conta muito no momento da entrevista. As empresas procuram por pessoas sóbrias e capazes de executar atividades que contribuam para o crescimento da organização. Aí você pergunta: vão me julgar pela roupa? Sim! Eles ainda não te conhecem, não sabem da sua capacidade. De acordo com suas roupas podem fazer outro juízo de você. Portanto, procure trajar-se de forma conservadora. Mas lembre-se de se sentir à vontade e manter seu estilo, sem exageros.

4 – Cuidado para não exagerar no perfume

Realmente perfume é algo muito pessoal. Inclusive certos tipos, que exigem hora e lugar para serem usados. Bem, se você não tem ninguém para orientá-lo o melhor é lembrar que quando estamos em busca de emprego vamos lidar com vários tipos de pessoas e frequentar diversos ambientes. Portanto, seja marcante, mas por seu conteúdo.

5 – Mascar chiclete durante uma entrevista (mesmo por telefone)

O selecionador percebe, pois seu tom de voz se altera, as palavras saem incompletas e isso compromete muito a sua forma de se expressão.

Ah! Sim, e pessoalmente ainda é possível ver até uma “babinha” escorrendo no canto da boca. Éca!

6 – Atender ao celular

Este é um problema. Se a pessoa for discreta ainda vai, mas muitas vezes o candidato fica “discutindo a relação” diante do selecionador. Evite usar o celular nestes momentos, a sua atenção deve estar voltada para a entrevista.

7 – Comparecer à entrevista acompanhado

Não! Definitivamente, nunca faça isto. Alguns candidatos levam suas mães, amigos e cônjuges. Estes acompanhantes muitas vezes até entram na sala junto com o candidato sem serem convidados. O pior é que ainda dão palpites.

O candidato à vaga é você, só você, os acompanhantes são completamente desnecessários.

8 – Mexer nos objetos sobre a mesa do selecionador

Parece brincadeira, mas não se assuste, pois este comportamento é mais comum do que você imagina. Há candidatos que organizam os objetos sobre a mesa, brincam com os bibelôs e abrem espaço no centro da mesa. Outro dia vi um candidato abrindo gavetas. Inconveniente… Bem, acredito que nestes casos talvez seja necessário um acompanhamento psicológico.

9 – Ligar insistentemente para saber o resultado da seleção

Por mais que a ansiedade lhe cause comichão é importante saber se colocar no lugar do selecionador. São muitas vagas e muitos candidatos. Já pensou se todo mundo decidir ligar? Compreenda que um processo seletivo pode levar certo tempo. Portanto, após a entrevista pergunte como será a finalização do processo e qual o tempo previsto para receber uma resposta, seja ela afirmativa ou não.

10 – Bola pra frente!

Se não foi desta vez procure fazer uma autocrítica. Veja a negativa como uma oportunidade de aperfeiçoamento. É como sempre digo, não cometo os mesmos erros, procuro cometer erros novos.

Por enquanto siga estas dicas. Hoje ficamos por aqui. Sim, vale lembrar que muitas vezes uma aparente e pequena agência de empregos pode ter como cliente empresas multinacional. Pense nisso!

Por Débora Martins

Débora Martins é professora e palestrante, especialista no gerenciamento das relações entre empresas e clientes. Graduada em Jornalismo e Sócia-Diretora na Atender Bem Consultoria e Treinamento Ltda. desde 1999. Auditora NBR Isso 9001:2008 pelo SENAI/SP. Desenvolve programas de treinamentos e palestras sobre atendimento a clientes, vendas, motivação e carreira. Palestrante convidada da Associação Comercial de São Paulo, jurada do Prêmio ABT 2010 e ex-consultora do Instituto Via de Acesso.

Anúncios

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s